quarta-feira, 21 de setembro de 2011

É fartar vilanagem

É fartar vilanagem



 
Frase conhecida e utilizada, já esta semana, por um conhecido comentador político da nossa televisão referindo-se  aos acontecimentos na nossa "Pérola do Oceano". É uma expressão a que acho particularmente graça e se bem que nos pacotes de café com que comecei a explorar este género de frases feitas, ela não viesse mencionada,  está muito actual e que tem uma enorme abrangência disso ninguém duvida.
De onde apareceu? É  uma frase que tem por base a História.
Cavaleiro vilão, na Idade Média, eram pequenos proprietários   obrigados a ir à guerra (fossado) a cavalo. Eram homens livres, pertencentes aos homens bons -dos concelhos, com representação nas Cortes nobres mas não pertenciam ao grupo social dos nobres. Gozavam de alguns privilégios uns variáveis e outros fixos, como o de estar dispensado de pagar a jugada ( imposto pago ao rei em vinho trigo etc.),e o seu juramento tinha valor de prova em julgamento.
 Pensa-se que foi na Batalha de Alfarrobeira ( junto ao ribeiro do mesmo nome,  em Alverca) que surgiu o episódio que deu origem a esta expressão.  Aqui, no século XV,  defrontaram-se o infante D. Pedro, irmão de D. João I, tio de D. Afonso V e anterior regente do reino e o sobrinho, o então príncipe ( D. Afonso V). Junto a D. Pedro combatia um fiel amigo e companheiro de longa data  D. Álvaro Vaz de Almeida, conde de Avranches. Este, antes de perecer, no limite das suas forças terá gritado  em tom desafiador ( presume-se), perante o número de inimigos que o atacavam e aos quais já não conseguia resistir :" Ora fartar  rapazes,  vingar  vilanagem". O termo vilanagem teria sido usado de forma depreciativa já que esses vilãos não eram combatentes nobres.Morreu à mãos dos que o atacavam, ele e D. Pedro, vencendo a facção palaciana de D. Afonso V , mas a frase do conde ficou para a História e é tão actual que apetece gritar a muita gente do nosso tempo a sua adaptação : " É fartar rapazes, vingar vilanagem" que outros pagarão! 


Batalha de Alfarrobeira

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Molière dixit

Pensamento do dia.


A virtude é o primeiro título de nobreza; eu não presto tanta atenção ao nome desta ou daquela pessoa mas antes aos seus actos.

domingo, 18 de setembro de 2011

Regresso

Regressei de férias com os olhos cheios do mar da minha ilha, os ouvidos descansados de tão pouca televisão que vi e ouvi, com saudades do que por cá deixei e dos que lá ficaram.
 Regressar também significa entrar no mundo do dia a dia com os nossos hábitos, inúmeras coisas para fazer, retomar o papel de avós presentes e mergulhar novamente num quotidiano nem sempre apetecível mas apaziguador como são todos os rituais que construímos ao longo da nossa vida.  Dei por mim a pensar que há dois anos que não sinto aquele recomeço do voltar à escolas, das inúmeras reuniões em que preparávamos a "matéria" e planificávamos  as aulas a dar, a ansiedade por saber os novos horários e as turmas que nos íam " calhar", enfim lembranças que se tornam mais vivas mas mais longínquas à medida que nos afastamos delas.
Também de regresso às notícias houve uma  que me tocou,de alguma forma, pelo insólito que representa para nós  ocidentais. Uma mulher no Paquistão,pertencente à religião cristã, está condenada à morte por ter bebido água de um poço que pertencia a muçulmanas. Tornou aquela água impura e foram as outras companheiras do árduo trabalho de apanhar mirtilos, debaixo de um calor insane, que a acusaram por blasfémia. Que mundo! Fala-se  de violadores, de agressores físicos de mulheres e crianças , de desvio de dinheiro,... grandes desvios de dinheiro, políticos corruptos e de moralidade duvidosa e... nada, continua tudo cantando e rindo sem nada lhes acontecer e, no entanto, uma mulher está presa há cerca de dois anos, aguardando o enforcamento, por ter bebido água de um poço pertencente a uma religião diferente da sua.  
Apetece-me regressar  para o meu cantinho e só voltar quando o mundo estiver melhor, ou seja seria, sem dúvida, uma viagem sem REGRESSO!   Mas esta mulher, como muitas outra merecem que se pense e fale nelas para não adormecermos em cima do que já conquistámos.



Asia BIbi


A família